Home / Notícias / TV Aberta / Rede Globo Com liderança ameaçada

Rede Globo Com liderança ameaçada

É sintomático de uma emissora que se acomodou com a liderança e que não sabe (mais) ousar. Parte dos problemas são com seus produtos, como o Vídeo Show e a novela das seis, Espelho da Vida, mas erros de programação também têm grande responsabilidade no fiasco.

Como na TV americana, que não acha exagerado programar dois ou três dramas na sequência numa noite, Carcereiros faria melhor dupla com Sob Pressão, que, às terças, não combina com Amor e Sexo.
Na chamada “Era Boni”, encerrada em 1998, a Globo arriscava muito mais. Poucos programas atravessavam décadas na grade, e somente aqueles que eram líderes absolutos. O Vídeo Show, criado sob o crivo de José Bonifácio de Oliveira, o Boni, está no ar há 35 anos. Passou os últimos cinco em crise, sofrendo para superar (ou perdendo mesmo para) um concorrente que não tem videotape, que faz fofoca numa bancada tradicional.
A Globo pagou por errar na ousadia, por querer ser progressista sem deixar de ser conservadora. O público do Vídeo Show de bancada fugiu e gostou do que viu na Record, pobre no envelopamento, mas diversificado e franco. A emissora tentou voltar atrás. Até funcionou durante algum tempo com Monica Iozzi e Otaviano Costa. Mas, desde a metade deste ano, o Vídeo Show é freguês da Hora da Venenosa.
O Vídeo Show é hoje um dos maiores problemas da Globo. A rejeição ao produto compromete o Jornal Hoje, 47 anos, que vem antes, e os filmes da Sessão da Tarde, 44, que vêm depois. A sessão de filmes verpertinos, por sua vez, vem sendo programada com uma displicência de amadores (ou de arrogantes).
Tanto que a primeira coisa que a Globo mudou na última sexta (23), após assimilar o fracasso histórico da véspera, foi mudar toda a programação de longas desta semana. Ironicamente, agendou para esta segunda (26) uma película protagonizada por Fábio Porchat, contratado da Record até 31 de dezembro.
Com o Vídeo Show enfraquecido, toda a programação que vem a seguir sofre para elevar a audiência para os padrões que a Globo estava acostumada. No final da tarde, mais dois problemas: Malhação e Espelho da Vida, tentativas de inovação que não estão dando certo.
A novelinha teen não agradou ao apostar em tramas que só duram 15 dias. O público estava acostumado a histórias longas, que duravam um ano inteiro. No novo formato, não há envolvimento emocional com os personagens, não há discussões nas escolas, não há casais a shippar.
Já a novela das seis é complexa demais para o horário, cerebral demais para um público que não quer pensar. Não é uma novela de época (que funciona bem às 18h) nem contemporânea. É uma metanovela. A mocinha fica viajando no tempo, e isso confunde o público.

Sobre NMarques

NMarques Estar na Internet desde o Longínquo do ano de 2013 e Trabalha na área de tecnologia da Informação há mais de 2 Anos e Escreve artigos para o Clube Az Brasil, É entusiasta do Compartilhamento de Conhecimento e da Interação com o seus Leitores.

Veja Também

Primeira votação ao vivo pela TV digital é feita por Record TV

Ontem, Dia 10 (quinta-feira)a Record TV foi pioneira e realizou a primeira votação ao vivo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.